Quando se fala em marketplace, o primeiro nome que surge na cabeça da maioria das pessoas é a Amazon. Porém existe uma série de outros sites que permitem que vendedores ofereçam seus produtos online.

A Europa, mais precisamente, conta com dezenas de sites focados exclusivamente nesse continente. Se o seu objetivo é começar a atender esse mercado, os marketplaces podem ser um ótimo caminho para atingir o público europeu sem correr grandes riscos.

Essa região é promissora para quem deseja vender online. Para se ter ideia, 85% da população europeia é ativa na internet. Um quarto de toda essa população conectada tem o hábito de realizar compras online.

Quer começar a vender para esse público, mas não sabe exatamente como? A nossa dica é se cadastrar nos marketplaces europeus. A seguir, listamos alguns dos mais famosos do continente. Confira:

8 marketplaces europeus

Allegro

O Allegro é um marketplace polonês, que ocupa a lista dos mais visitados da Europa. Com mais de 14 milhões de usuários ativos, ele é uma oportunidade para os empreendedores que desejam atingir os consumidores da Polônia.

Fundado em 1999, ele vende de tudo: desde móveis, até equipamentos esportivos e utensílios de cozinha.

Por seu foco ser a Polônia, o Allegro tem como exigência que todos os produtos sejam listados na língua local. O lado bom é que com o auxílio do Google Translate, ou então contratando tradutores por valores acessíveis em sites como o Fiverr, é possível tranquilamente trabalhar com esse público. Em dúvida se vale a pena?! O mercado online na Polônia movimenta 10 bilhões de euros anuais.

Fnac

A Fnac é a queridinha dos Franceses. Com lojas físicas e virtuais, é o terceiro marketplace mais acessado no país, ficando atrás apenas da Amazon e do Cdiscount.

A marca é conhecida de longa data do público europeu, visto que foi lançada em 1954 com lojas físicas. Porém, ela tornou-se ainda mais próxima dos consumidores em 2008, quando ativou o seu marketplace, que possibilita que pessoas de todos os lugares consigam adquirir produtos sem precisar sair de casa.

No total, o marketplace da Fnac conta com mais de 10 milhões de produtos, entre eletrônicos e itens de entretenimento. Essa grande quantidade de itens é o que atrai os mais de 12.5 milhões de visitantes únicos que o site da empresa recebe por mês.

Otto

O Otto é o segundo maior marketplace da Alemanha, ficando apenas atrás da Amazon. Para você ter ideia, em 2017 ele faturou cerca de €2.7 bilhões. Apesar de ser alemão, ele atende outros países da europa, como Áustria, Bélgica e Holanda.

O sucesso desse site se dá pelo seu grande portfólio. No total, ele tem cerca de dois milhões de itens, de quase sete mil marcas diferentes. As suas principais categorias são roupas, decoração, brinquedos, eletrônicos e itens para a casa.

Esse é um um marketplace mais caro para os novos lojistas. Porém, quem já está mais estabilizado no mercado europeu e deseja se cadastrar no site tem essa possibilidade. As comissões ficam entre 15% e 50%. O lado bom é que ele não cobra taxas de associação ou listagem.

Um outro detalhe também limita o Otto apenas aos lojistas mais experientes. Para se cadastrar no marketplace é fundamental que a loja tenha um mínimo de 100 produtos, além de experiência comprovada com lojas virtuais.

O público do Otto é fiel. No total, ele conta com quase sete milhões de usuários ativos e nove milhões de pessoas cadastradas no site, que têm entre 25 e 55 anos.

Apesar de ele vender para 20 países da Europa, é regra que todos os produtos vendidos no Otto sejam descritos em alemão.

Rakuten PriceMinister

O Rakuten PriceMinister é o segundo marketplace mais visitado da França. No total, ele conta com mais de nove milhões de visitantes únicos por mês, além de mais de 22 milhões de usuários cadastrados. Como o nome já diz, o site foi adquirido pelo Rakuten, que é o quarto maior grupo de lojas virtuais do mundo.

Os produtos oferecidos pelo PriceMinister, são variados: desde livros, até roupas, passando por itens para a casa e comida, que podem ser anunciados em inglês.

Para vender no PriceMinister você precisa receber as trocas e devoluções na Europa e ter uma conta bancária europeia. Além disso, os preços também devem ser listados em euros.

O marketplace conta ainda com alguns incentivos para os lojistas. Ao vender no site, você recebe treinamentos, além de reembolsos (o seu cliente também) se o produto extraviar no caminho.

Bol

O Bol é o maior marketplace do bloco econômico Benelux (Bélgica, Luxemburgo e Holanda). Ele conta com cerca de um milhão de visitas por dia e mais de seis milhões de usuários ativos. Entre os seus principais produtos estão livros, brinquedos e eletrônicos.

Esse marketplace é bem amigável para quem deseja realizar vendas. Primeiramente, eles não cobram taxas, apenas uma porcentagem se a venda for realizada. Isso garante que, caso poucos itens sejam vendidos, o lojista não saia em desvantagem ou prejuízo.

Além disso, eles também usam o sistema de Número Global do Item Comercial (GTIN). Portanto, se você tem esse código, não precisa colocar os produtos manualmente no site.

OnBuy

O OnBuy é um marketplace que permite a venda de itens novos e usados. No total, conta com milhares de lojistas, que são responsáveis pelo cadastro de mais de 10 milhões de produtos no portfólio do site.

Apesar de ter sido lançado apenas em 2016, esse site está com planos ambiciosos. A ideia é que nos próximos anos ele esteja presente em mais de 140 países.

Ele é considerado um site amigável para as pessoas que desejam realizar vendas, visto que conta com taxas acessíveis e a opção de pagamento via PayPal.

Cdiscount

O Cdiscount é um marketplace francês com mais de 8.5 milhões de usuários ativos e mais de 19 milhões de visitantes únicos por mês. Além da França, é focado também no público da Itália, Alemanha, Espanha e Bélgica.

O site conta com mais de 40 categorias de produtos, que somam um faturamento anual de mais de um bilhão de euros. Atualmente, esse marketplace conta com mais de 10 mil lojistas.

Flubit

O Flubit é um dos maiores marketplaces do Reino Unido. Em novembro de 2017, ficou na décima posição dentre os e-commerces mais valiosos da Europa.

No total, conta com um portfólio com mais de 70 milhões de produtos, nas categorias casa e decoração, brinquedos, livros e eletrônicos.

Esse marketplace se posiciona como um competidor direto da Amazon e, atualmente, conta com mais de 1.500 lojistas.

Amazon

Apesar de não ser originalmente Europeu, precisamos falar do principal Marketplaces do mundo. Ela foi o marketplace mais visitado da Europa em 2018. Além disso, as previsões da Veraart Research dizem que a tendência é que a Amazon dobre a sua receita em três ou quatro ano.

Com uma empresa Americana você pode cadastrar seus produtos no marketplace da Amazon nos Estados Unidos, México e Canadá, além de poder disponibilizá-los nos países europeus em que a Amazon atua, como Inglaterra, França, Itália, Alemanhã e Espanha. O marketplace permite também que você utilize os warehouses que possui nestes países para ter seus produtos à pronta entrega na Europa! Se preferir enviar os produtos dos EUA para os clientes na Europa, há opções de envio a partir de $12 e entrega em poucos dias.

Uma maneira simples de começar a vender na Europa é através de uma empresa nos Estados Unidos e utilizando a visibilidade e sistema logístico da Amazon. Ao abrir uma empresa nos EUA, você contará com toda a estrutura que precisa para fazer negócios também no continente europeu. A sua incorporação, área contábil e logística será unificada.

Para saber como vender para Europa através dos EUA, entre em contato com nosso atendimento clicando aqui.